O Anjo.

O Anjo.

Onde estás, oh criação, que dorme pesadelos e vive sonhos tresloucados, contando com o perdão divino?
Uma vez vivi uma experiência um tanto surreal. Saí do meu corpo enquanto dormia e me deparei com monstros alados e chifrudos e estes, quando me fitaram, colocaram fogo pela goela para me queimar as pestanas.
Corri, corri muito para me livrar das criaturas na esperança de encontrar um riacho pra apagar o incêndio que o fogo cuspido pelos dragões me crestava.
Acordei vertendo água pelos poros mas aliviada de ter me livrado de tais seres fabulosos.
Aí minha vida começou naquele dia, um dia divino, cheio de luz do sol. Vivi um sonho acordada. Sonhei que pisava firme no chão, dentro do meu corpo e resolvi banhar-me dele, do sol, pra captar energias e seguir a diante em busca de respostas para minhas inquirições. Esperava respostas convincentes sobre a vida, a morte, Eu, Deus... Eu me escrevo com letra maiúscula, pois uma resposta Eu consegui naquele dia, que Eu sou Deus, sou o meu Deus e que todos nós temos um dentro do corpo vivo. Um Deus tão poderoso que julga, absolve, dá a luz, tira a vida, faz e acontece. Ama, odeia, cria, destroi… Esse Deus que Eu tenho dentro do meu corpo vivo é o Deus todo poderoso e Eu tenho todo controle sobre ele. Deus sou Eu. Sabe quem me deu essa resposta? Foi um anjo…
Bom, consegui respostas sobre Eu e Deus naquele dia, mas a vida e a morte ficaram para o dia depois da noite que estava por vir, a noite em que eu dormiria pesadelos de novo, mas, agora sabendo que sou esse Eu, despacharia os dragões para outro planeta.

Ana Maria Basso.
Sem Comentários

Deixe o primeiro comentário

Todos os direitos reservados