Saudades.

Saudades...


Ai que vontade de ver o meu amor,
De abraçá-lo e cheirá-lo e amá-lo com muito calor.
Mas ele não aparece, não se deixa ver e nem quer me ver.

Ai que saudades do meu amor.
Ai que vontade de ter o meu amor.
Vontade de que tudo volte a ser como era,
Cheio de abraços, de beijos e graças com muito calor.

Pensei que a essa altura da vida
Não mais teria
Essa mania de desavença, que machuca e fere
Essa alma da gente que só quer amor.

Mas não tem jeito,
Ela se faz presente
E machuca a gente como um castigo
Que não sei porquê.

Tudo bem...
O jeito é aguardar,
Esperar que tudo passe,
O desamor, o rancor...
E tudo volte a ser como era,
Cheio de amor, paixão e calor...

Ai que saudades do meu amor...


Ana MariaBasso.
Sem Comentários

Deixe o primeiro comentário

Todos os direitos reservados