Tudo Branco.

Tudo Branco.

Branco da nuvem
Branco da noiva
Branco da onda
Branco do olho
Branco da pele
Branco da folha
Folha de papel que se deixa escrever
Da nuvem que de branca fica preta com o temporal
Assim como a noiva que de branco pensa que engana
Como a onda que quebra no final
Assim como o branco do olho que envermelha de vício
E da pele que se brônzea com o artifício
Assim como a nuvem que esconde o sol para o alívio
Como a noiva virgem como a Virgem
Assim como a crista da onda
Como o branco do olho
Assim como a raça branca da pele
E da folha que acaba em palavras
Palavras, palavras fúteis como estas.
Mas é melhor que deixar tudo branco, sem palavras ou pensamentos...
Pensamentos que ficam brancos no esquecimento.

Ana Maria Basso.
Sem Comentários

Deixe o primeiro comentário

Todos os direitos reservados