Mulheres da Família.

Sim, estas são algumas das mulheres da minha família. Mulheres desta década.
Composta  de mulheres bonitas, adornada de mulheres fortes, as mulheres Castro de sangue, outra Castro de união são as mulheres da família. Olhando em cada rosto vejo um olhar alegre e ao mesmo tempo triste e a tristeza marca muito um olhar, um rosto. A tristeza envelhece rapidamente um rosto bonito, ela aparece no canto dos olhos, no sorriso apagado... Já a alegria vem de dentro, e fica difícil de ver, alegria se sente, então cada uma dessas mulheres é que deve falar ou escrever da sua própria. 
Eu posso falar da minha alegria. Alegria de viver, alegria de ser livre, alegria de poder decidir. Já a tristeza está lá, estampada no olhar, tristeza da perda, da dor, tristeza no fundo da alma, mas que um sorriso apagado tenta disfarçar, afinal, a vida continua e continua linda porque EU quero.
Essas mulheres  vivem amores, paixões, frustações, ansiedades, decepções, enfim, essas mulheres vivem a vida. Essas mulheres fazem acontecer à sua volta, elas decidem, acertam, erram. Umas se arrependem e pedem perdão, outras se arrependem e dão de ombros, afinal o perdão deve vir só delas para elas. Há também as que não se arrependem de nada, afinal encaram a vida sem pecado.
Essas mulheres extraordinárias que fazem rir e fazem chorar. Mulheres que criam seus filhos e deixam suas marcas. Mulheres competitivas que não aceitam a derrota. Mulheres apaixonadas pela vida, apaixonadas por seus homens. Umas cheias de fé, outras nem tanto.
Essas mulheres extraordinárias, que são o significado maior da palavra mulher.


  

Sem Comentários

Deixe o primeiro comentário

Todos os direitos reservados