Agosto 2014.

Rio de Janeiro.
O pôr do Sol, sempre lindo e a certeza de um novo dia.



Pôr do Sol.

Agosto 2014.

Rio de Janeiro.
O pôr do Sol, sempre lindo e a certeza de um novo dia.



Leia Mais
Março 2014.

A viagem e a turma mais incrível que há!
Esse texto reflete toda a nossa experiência em desbravar a Terra Santa.

"Israel, a Terra Santa, a Terra Prometida, um país de infinitos caminhos, todo um mundo se surpresas.
Viajar em Israel é fazer um percurso pelos cenários da Bíblia, do Antigo e do Novo Testamento, uma odisséia pelo tempo, uma travessia por um crisol onde confluem diversas e variadas culturas (onde a complexidade étnica, religiosa, política e social é a nota característica) que procuram afanosamente uma senda nova, que conduza à convivência pacífica. E é que Israel é a capital das religiões monoteístas mais importantes, que professa o homem, um importante centro de culto. Para muitos é o encontro com um Deus viajante, em procura da humanidade e para outros a procura de Deus.
Porém, Israel é mais do que isso. Em suas terras se respira algo invencível, algo mágico, algo que pertence a tempos distantes e que se percebe em seus diversos ambientes. Um lugar onde o sagrado se envolve com o cotidiano e próximo, para deixar-se tocar em suas paisagens tão variadas, em seus delicados aromas e em seus profundos silêncios. Desde a Antiga Jerusalém até a moderna Tel Aviv, desde as costas do Mediterrâneo até o insondável Deserto do Neguev, desde o Lago Tiberíades até os férteis vales da Galiléia, desde as praias de corais do Mar Vermelho, até as profundidades do Mar Morto (o ponto mais baixo do planeta), desde as regiões, como Samaria, Judéia, até o mercado árabe, desde o passado ao presente, em uma só palavra, Israel é a Terra Prometida."




Israel. Os Melhores Momentos.

Março 2014.

A viagem e a turma mais incrível que há!
Esse texto reflete toda a nossa experiência em desbravar a Terra Santa.

"Israel, a Terra Santa, a Terra Prometida, um país de infinitos caminhos, todo um mundo se surpresas.
Viajar em Israel é fazer um percurso pelos cenários da Bíblia, do Antigo e do Novo Testamento, uma odisséia pelo tempo, uma travessia por um crisol onde confluem diversas e variadas culturas (onde a complexidade étnica, religiosa, política e social é a nota característica) que procuram afanosamente uma senda nova, que conduza à convivência pacífica. E é que Israel é a capital das religiões monoteístas mais importantes, que professa o homem, um importante centro de culto. Para muitos é o encontro com um Deus viajante, em procura da humanidade e para outros a procura de Deus.
Porém, Israel é mais do que isso. Em suas terras se respira algo invencível, algo mágico, algo que pertence a tempos distantes e que se percebe em seus diversos ambientes. Um lugar onde o sagrado se envolve com o cotidiano e próximo, para deixar-se tocar em suas paisagens tão variadas, em seus delicados aromas e em seus profundos silêncios. Desde a Antiga Jerusalém até a moderna Tel Aviv, desde as costas do Mediterrâneo até o insondável Deserto do Neguev, desde o Lago Tiberíades até os férteis vales da Galiléia, desde as praias de corais do Mar Vermelho, até as profundidades do Mar Morto (o ponto mais baixo do planeta), desde as regiões, como Samaria, Judéia, até o mercado árabe, desde o passado ao presente, em uma só palavra, Israel é a Terra Prometida."




Leia Mais
Março 2014.
Little Petra é uma versão mais simplificada de Petra. Está a 20 minutos de carro de Petra. Também conhecida como Beida, serviu como centro agrícola e ponto de reabastecimento para as caravanas e camelos no período de 100 A.C.
Isabela e Elisa no templo em Little Petra. 
Aqui Indiana e sua amada.
A natureza, sempre bela, mesmo onde as condições climáticas e geográficas são adversas.
Explorando o templo. Diferente de Petra, Little Petra é tranquila, com poucos turistas circulando. 
Little Petra também tem um "mini Siq", como Petra. Para chegarmos até os templos e casas esculpidas na rocha, temos que passar por ele. 
De volta ao hotel, comemoramos o aniversário da minha irmã, Heloisa. Nosso guia foi um amor, comprou o bolo e organizou tudo na hora do jantar, a pedido do Paul, meu cunhado.
Já no caminho em direção a Aqaba, já voltando para a fronteira com Israel, onde pegaríamos o vôo para Tel Aviv, paramos no alto de um desfiladeiro e vislumbramos Petra de longe. Essa foto foi tirada com o zoom da minha câmera e mostra bem a fenda  na montanha de rocha que é o Siq do sítio arqueológico de Petra que leva ao Tesouro.
Ao fundo, do mesmo local onde foi tirada a foto a cima, dá pra ver bem, à direita, o centro onde está localizado a entrada do Sítio Arqueológico de Petra. Só deserto...
Bandeiras da Jordânia. Era hora de dizer adeus.
De volta à Tel Aviv, passando por Eilat, pegamos o vôo de volta para o Brasil. 
Na fronteira, voltando da Jordânia, a segurança no aeroporto em Eilat, com as pessoas que vêm da Jordânia é rigorosíssima. Revistam tudo, fazem muitas perguntas, abrem todas as malas, enfim, Israel se protege de todas as formas contra terroristas. Estão bem escolarizados.
Nos despedimos de Paul, Heloisa, Isabela e Elisa em Eilat, Israel. Eles pegaram outro vôo para os Estados Unidos, onde moram.
Foram 15 dias espetaculares, uma viagem pra ficar na história da minha vida e bem registrada aqui. 
Espero que tenham gostado, pois eu amei tudo!

Little Petra.

Março 2014.
Little Petra é uma versão mais simplificada de Petra. Está a 20 minutos de carro de Petra. Também conhecida como Beida, serviu como centro agrícola e ponto de reabastecimento para as caravanas e camelos no período de 100 A.C.
Isabela e Elisa no templo em Little Petra. 
Aqui Indiana e sua amada.
A natureza, sempre bela, mesmo onde as condições climáticas e geográficas são adversas.
Explorando o templo. Diferente de Petra, Little Petra é tranquila, com poucos turistas circulando. 
Little Petra também tem um "mini Siq", como Petra. Para chegarmos até os templos e casas esculpidas na rocha, temos que passar por ele. 
De volta ao hotel, comemoramos o aniversário da minha irmã, Heloisa. Nosso guia foi um amor, comprou o bolo e organizou tudo na hora do jantar, a pedido do Paul, meu cunhado.
Já no caminho em direção a Aqaba, já voltando para a fronteira com Israel, onde pegaríamos o vôo para Tel Aviv, paramos no alto de um desfiladeiro e vislumbramos Petra de longe. Essa foto foi tirada com o zoom da minha câmera e mostra bem a fenda  na montanha de rocha que é o Siq do sítio arqueológico de Petra que leva ao Tesouro.
Ao fundo, do mesmo local onde foi tirada a foto a cima, dá pra ver bem, à direita, o centro onde está localizado a entrada do Sítio Arqueológico de Petra. Só deserto...
Bandeiras da Jordânia. Era hora de dizer adeus.
De volta à Tel Aviv, passando por Eilat, pegamos o vôo de volta para o Brasil. 
Na fronteira, voltando da Jordânia, a segurança no aeroporto em Eilat, com as pessoas que vêm da Jordânia é rigorosíssima. Revistam tudo, fazem muitas perguntas, abrem todas as malas, enfim, Israel se protege de todas as formas contra terroristas. Estão bem escolarizados.
Nos despedimos de Paul, Heloisa, Isabela e Elisa em Eilat, Israel. Eles pegaram outro vôo para os Estados Unidos, onde moram.
Foram 15 dias espetaculares, uma viagem pra ficar na história da minha vida e bem registrada aqui. 
Espero que tenham gostado, pois eu amei tudo!

Leia Mais
Todos os direitos reservados