Jerusalém.

Março 2014.

Jerusalém é uma experiência única! A diversidade de culturas, religiões, arquitetura são de tirar o fôlego. Sem dúvida uma das cidades mais incríveis que já visitei e quero voltar!
Jerusalém tem uma história que data o IV milênio a.C., tornando-se uma das cidades mais antigas do mundo. É a cidade santa dos judeus, cristãos e muçulmanos. Agora imagine todos eles convivendo o dia-a-dia, os espaços, as crenças... algo incrível de se imaginar.
Mas nem sempre foi assim.  A antiga Palestina foi colônia britânica até 1948, quando uma resolução na ONU determinou o seu desmembramento em dois estados independentes: Israel (judaico) e Palestina (muçulmano e com território menor que o da antiga Palestina). Nesta resolução Jerusalém foi declarada uma cidade internacional. Com a saída das tropas britânicas, Israel e Palestina entraram em guerra e os israelenses foram os vencedores, mas batalhas e movimentos terroristas se seguem até hoje pela libertação da Palestina.
Pelo que entendi, só passa pela barreira quem for muçulmano.
As ruas da Cidade Antiga.

Nos hospedamos no Harmony Hotel, a 10 minutos de caminhada da Cidade Antiga. Um excelente hotel cercado por restaurantes, cafés e lojas. Todo final de tarde era servido um lanche na sala de jogo e leitura até às 19:30h. Sanduíches, sucos naturais, vinho, salgados, tortas e doces, um mimo só.

Nosso primeiro dia em Jerusalém foi marcado pela visita à Cidade Antiga. Entramos pelo "Portão de Jafa". Há 8 portões que dão acesso à cidade murada, que é dividida em 4 Bairros: O Bairro Cristão, Bairro Judeu, Bairro Muçulmano e Bairro Armênio.
O Bairro Cristão está localizado na parte noroeste da Cidade Antiga. Seu monumento principal é a Basílica do Santo Sepulcro. Essa Basílica já foi construída e destruída algumas vezes pelos Persas, pelo Califa Hakim... muita história... após a conquista de Jerusalém, as Cruzadas construíram a igreja atual, que contem a tumba de Jesus e o local da crucificação em um só local. Na época de Jesus, este local ficava fora dos muros, pois os costumes judeus proibiam a execução e o enterro de serem realizados na cidade. 
As últimas Cinco Estações da Via Dolorosa estão na Basílica do Santo Sepulcro.
A porta da Basílica. Imensa, linda. Adoro portas!
Aqui está a Pedra da Unção. Um altar que marca o local em que Maria recebeu o corpo de Jesus após Ele ter sido retirado da cruz. O corpo de Jesus foi então deitado na Pedra da Unção e o ungiram.
Aqui é o local da crucificação.
Um lindo mosaico decora o lugar onde Jesus foi crucificado.
 O Santo Sepulcro, o local mais sagrado da Cristandade fica no centro da Rotunda, em uma edícula ricamente decorada. Essa foto mostra o teto acima da edícula.
A edícula.
Dentro da edícula, onde Jesus foi sepultado. Aqui dentro está um pedaço da pedra com o qual o sepulcro de jesus foi fechado. 
Era algo assim há 2000 anos. Essa foto foi tirada durante nosso trajeto em direção à Jerusalém, acho que quando passávamos por Jericó. Até hoje encontra-se túmulos assim por aqui...
As vezes que passei na frente da Basílica, durante nossos 4 dias em Jerusalém, ele estava sempre lá...
Olhe ele ali de novo...

A Via Dolorosa.
As Estações da Crucificação são uma narração das últimas horas de Jesus entre nós. A Via começa (presume-se, uma vez que naquela época não havia "ruas" assim) no Portão de Santo Estêvão (Portão do Leão) e percorre a parte ocidental de Jerusalém Antiga.
"As Estações servem como um lembrete austero da forma humilde em que Jesus estava disposto a colocar de lado qualquer privilégio da divindade a fim de fornecer um caminho para a salvação através do Seu sacrifício." Elas são 14, iniciando com Jesus condenado à morte e terminado com a colocação de seu corpo no sepulcro.

Registrei aqui algumas fotos das Estações. 
Isabela, minha sobrinha com a mão onde "Jesus teria colocado a sua mão..."
Segunda Estação.... Capela Franciscana da Flagelação. Aqui Jesus é flagelado e lhe entregam a cruz para ser carregada. Meus familiares deixando a capela.
Terceira Estação... Jesus cai pela primeira vez. 
 Sexta Estação... Verônica limpa a face de Jesus.
Sétima Estação... Jesus cai pela segunda vez. 
Oitava Estação... Jesus consola as filhas de Jerusalém. Esta é minha mãe.
Fazer essa caminhada pelas ruas da Cidade Antiga de Jerusalém, pela Via Dolorosa, é um mistura de sentimentos, de questionamentos, de sensações extraordinárias como tristeza, amor, revolta... tudo junto. Não sou uma pessoa religiosa, mas tudo aqui toca a gente de uma forma espiritual muito profunda. É muita história.

No próximo post... mais de Jerusalém.


1 comentário

Um comentário

  1. Para mim essa foi uma das mais importantes partes de nossa viagem ! A que mais me emocionou! Caminhar pela Cidade Antiga; pela Via dolorosa; seguir os passos de Jesus até o Calvário; parar e orar em cada Estação; conhecer o lugar onde Jesus foi crucificado; ver a pedra da Unção, local onde Jesus foi ungido antes de ser sepultado; orar em frente ao altar, local em que Maria recebeu seu filho Jesus nos braços , depois de ser retirado da cruz . Muito lindo! É difícil as pessoas não emocionarem e não chorarem... Obrigada Aninha ! Trabalho maravilhoso esse seu!
    Beijos da Mami.

    ResponderExcluir

Todos os direitos reservados