Mar Morto.

Março 2014.

Mar Morto, no Deserto da Judéia. Fascinante!

O lugar mais baixo do mundo, 400 m abaixo do nível do mar, o Mar Morto é alimentado pelo Rio Jordão e banha a Jordânia e Israel.

Saímos cedo de Jerusalém rumo ao Mar Morto "Dead Sea". Tivemos que dar adeus a esta cidade incrível, que tanto me fascinou.  Eu poderia escrever e escrever sobre Jerusalém, sobre sua história, sobre todos os lugares que me tocaram na alma... mas fica para um post exclusivo no futuro. Voltarei lá um dia novamente.
A primeira visão do Mar, que na verdade é um grande lago foi essa da foto abaixo. Deslumbrante!

Seguimos em direção a um sítio arqueológico chamado Qumran, na costa do Mar Morto. Neste sítio vimos restos de uma vila e cavernas onde os famosos "Pergaminhos do Mar Morto" foram descobertos, datados de 186 A.C..  De acordo com algumas estimativas, essa vila abrigava até 200 homens sobrevivendo do círculo judaico de oração em privacidade e celibato, em direta oposição aos sacerdotes do templo de Jerusalém. A história conta, também, que João Batista viveu um tempo aqui com esses homens.
O Pergaminho do Mar Morto.
 Feitos de sal.
A Turma em Qumran.
Nosso guia Uffir nos contando a história de Qumran.
Nessa região há aproximadamente 330 dias de sol por ano e praticamente não há precipitações. O ar é tão seco e quente que a água das evaporações é seca imediatamente no ar, criando uma névoa e resultando em um cheiro de enxofre.
Qumran tornou-se célebre em 1947 com a descoberta de manuscritos antigos que ficaram conhecidos como os Manuscritos do Mar Morto.
Em 1947, os primeiros manuscritos foram encontrados em uma caverna às margens do Mar Morto por um jovem beduíno que cuidava de um rebanho de ovelhas. A notícia do achado espalhou-se rapidamente após a venda e aquisição dos primeiros manuscritos. De imediato a comunidade científica se interessou pelo achado.
(fonte Wikipédia)
Depois das ruinas, o Spa...
A  salinidade do Mar Morto evita a existência de qualquer forma de vida em suas águas. Este sal, por outro lado, fornece um alívio imenso para muitos visitantes enfermos que vêm regularmente para se beneficiarem das suas características de cura.
Você boia... não afunda de jeito nenhum. Incrível! Mas não deixe que a água caia nos seus olhos, a dor é intensa!
Seu leito tem depósitos de lama negra, que é fácil de espalhar no corpo e fornece minerais nutritivos para a pele, como um banho de argila, mas não é argila. Há também o brometo no ar que é benéfico para os sistemas do corpo. Assim, o Mar Morto é um fornecedor de boa saúde e cura para todos que aqui vêm para se beneficiarem de sua essência.
Heloisa e eu.
Daqui seguimos para um acampamento beduíno para passar a noite e ter a experiência de dormir numa barraca típica, andar "de" camelo, visitar o Monte Masada e conhecer um pouco mais da cultura do povo. No próximo post.
1 comentário

Um comentário

  1. Mais um lugar maravilhoso e importante que visitamos: O Mar Morto! Os comentários e as fotos postados pela Aninha explicam tudo! Impressionante! Inacreditável! Coisas que a gente nunca pensava em ver e desfrutar...
    Mais uma vez , meus parabéns , minha filha , por essa estória que vivemos e que você contou com tanta precisão! Beijos! Mami

    ResponderExcluir

Todos os direitos reservados