Sintra.

Sintra.
Sobre um pequeno maciço da Serra de Sintra, ergue-se a belíssima cidade com o mesmo nome. Antiga residência de verão de monarcas e nobres portugueses que, em 1995 foi declarada pela UNESCO Patrimônio da Humanidade.
 A paisagem que a rodeia contribuiu para realçar a personalidade e o encanto de uma vila que 
desperta paixões e que arrancou elogios de poetas e escritores, tais como Camões e Lord Byron.
 Passeamos pela bela Sintra, por suas ruelas cheias de turistas, artistas, restaurantes, cafés...




 O Palácio Real de Sintra, antiga residência dos monarcas lusitanos, foi construído no século XVIII.


Depois de caminharmos pela histórica Sintra, seguimos serra acima em direção ao famoso Palácio da Pena. Considerado uma obra do romantismo português e situado numa paragem de sonho, a construção é devida à sensibilidade artística de D. Fernando II, o monarca que em meados do século XIX, encomendou ao arquiteto alemão Ludwig von Eschwege a construção do edifício e a recuperação do antigo mosteiro Jerónimo do século XVI, construído no mesmo lugar. O conjunto é uma mistura de vários estilos (egípcio, oriental, gótico, manuelino e renascentista), que, surpreendentemente, convivem numa harmonia sem desmerecer o resultado final.
 Palácio da Pena.





















Do Palácio da Pena pode-se vislumbrar, ao longe, o Castelo dos Mouros, construído no século VIII.

 Ainda no Palácio da Pena.

 Ao fundo, Sintra e o Oceano Atlântico.
Passamos um belo dia em Sintra. Agora era hora de conhecermos Fátima, a cidade de Nossa Senhora e os três pastorinhos.
Sem Comentários

Deixe o primeiro comentário

Todos os direitos reservados